RIR preocupado com aumento de pessoas sem-abrigo no Funchal

O partido RIR disse hoje ver com "preocupação" o aumento das Pessoas sem abrigo, no concelho do Funchal. Em nota enviada à redação pelo coordenador nacional do partido, Fernando Góis, o partido diz que "o número de pessoas sem abrigo, não pára de crescer, aumentando assim a pobreza, a criminalidade, a delinquência, a exclusão social e até mesmo situações desagradáveis de saúde pública" e que foi, por estas razões, que "o deputado independente e coordenador do RIR Madeira, Roberto Vieira, votou favoravelmente, a várias propostas apresentadas ontem na Assembleia Municipal". Naquela nota é ainda referido que o RIR lembrou também nesta sessão da Assembleia, que o Governo Regional através da Segurança Social, "poderia fazer mais por estas pessoas, bem como a Câmara Municipal, que no seu entender nada faz, a não ser folhetos coloridos e fotografias para assim poder aparecer na comunicação social". Nesta sessão foi pedido ainda a intervenção da CMF, para retirada de uma  barraca existente numa zona histórica da cidade, mais concretamente nas ruinas do Forte de São Filipe, barraca esta que no entender do Partido, em nada favoresse uma cidade como a nossa. O partido diz também ter votado a favor de um projeto que "visa dinamizar o Comércio local e que vem ao encontro das preocupações dos comerciantes do Funchal, numa altura de crise e  falta de poder de compra", como também votou favoravelmente noutro projeto, que "propõe a Implementação de um Programa de Politica de Habitação, que tem como objetivo apoiar os casais jovens e novas Familias a se fixarem no Funchal, em habitações a preços mais baixos e adequados a todos aqueles que recebem salários mais baixos e por sua vez, estes teriam o papel de voltar a dar vida à cidade, cidade esta que a partir das 20 horas, torna-se numa cidade fantasma, sem qualquer motivo de atração, para levar as pessoas à cidade". O Partido RIR lamenta ainda que todas as propostas, não tivessem recebido "o voto favorável do Partido Socialista e dos seus seguidores".

RIR preocupado com aumento de pessoas sem-abrigo no Funchal
O partido RIR disse hoje ver com "preocupação" o aumento das Pessoas sem abrigo, no concelho do Funchal. Em nota enviada à redação pelo coordenador nacional do partido, Fernando Góis, o partido diz que "o número de pessoas sem abrigo, não pára de crescer, aumentando assim a pobreza, a criminalidade, a delinquência, a exclusão social e até mesmo situações desagradáveis de saúde pública" e que foi, por estas razões, que "o deputado independente e coordenador do RIR Madeira, Roberto Vieira, votou favoravelmente, a várias propostas apresentadas ontem na Assembleia Municipal". Naquela nota é ainda referido que o RIR lembrou também nesta sessão da Assembleia, que o Governo Regional através da Segurança Social, "poderia fazer mais por estas pessoas, bem como a Câmara Municipal, que no seu entender nada faz, a não ser folhetos coloridos e fotografias para assim poder aparecer na comunicação social". Nesta sessão foi pedido ainda a intervenção da CMF, para retirada de uma  barraca existente numa zona histórica da cidade, mais concretamente nas ruinas do Forte de São Filipe, barraca esta que no entender do Partido, em nada favoresse uma cidade como a nossa. O partido diz também ter votado a favor de um projeto que "visa dinamizar o Comércio local e que vem ao encontro das preocupações dos comerciantes do Funchal, numa altura de crise e  falta de poder de compra", como também votou favoravelmente noutro projeto, que "propõe a Implementação de um Programa de Politica de Habitação, que tem como objetivo apoiar os casais jovens e novas Familias a se fixarem no Funchal, em habitações a preços mais baixos e adequados a todos aqueles que recebem salários mais baixos e por sua vez, estes teriam o papel de voltar a dar vida à cidade, cidade esta que a partir das 20 horas, torna-se numa cidade fantasma, sem qualquer motivo de atração, para levar as pessoas à cidade". O Partido RIR lamenta ainda que todas as propostas, não tivessem recebido "o voto favorável do Partido Socialista e dos seus seguidores".