Rodrigues pede ajuda do Estado em Dia de Portugal

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira deixou hoje “duas boas questões para refletir neste Dia de Portugal e de todos os portugueses”. Num breve texto publicado numa rede social, José Manuel Rodrigues exorta o Estado Português a ser mais compreensivo com as regiões autónomas. E deixa duas ideias concretas. Na primeira, Rodrigues considera que “se a República vai avalizar uma operação de financiamento da TAP porque é que não pode dar o seu aval aos empréstimos contraídos pelos Açores e pela Madeira?” Com isso, explica o presidente, as regiões autónomas “poupariam uns bons milhões de euros. A segunda ideia serve para pedir ao Estado a aplicação de uma moratória à dívida da Madeira. Se a República o faz aos cidadãos e às empresas, também deve seguir o mesmo procedimento com a Madeira, afirma. E assim seria possível “uma folga orçamental para que a Região pudesse ter dinheiro para apoiar as famílias e as empresas atingidas pela pandemia”, sugere o presidente.

Rodrigues pede ajuda do Estado em Dia de Portugal
O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira deixou hoje “duas boas questões para refletir neste Dia de Portugal e de todos os portugueses”. Num breve texto publicado numa rede social, José Manuel Rodrigues exorta o Estado Português a ser mais compreensivo com as regiões autónomas. E deixa duas ideias concretas. Na primeira, Rodrigues considera que “se a República vai avalizar uma operação de financiamento da TAP porque é que não pode dar o seu aval aos empréstimos contraídos pelos Açores e pela Madeira?” Com isso, explica o presidente, as regiões autónomas “poupariam uns bons milhões de euros. A segunda ideia serve para pedir ao Estado a aplicação de uma moratória à dívida da Madeira. Se a República o faz aos cidadãos e às empresas, também deve seguir o mesmo procedimento com a Madeira, afirma. E assim seria possível “uma folga orçamental para que a Região pudesse ter dinheiro para apoiar as famílias e as empresas atingidas pela pandemia”, sugere o presidente.