Rui Rio diz que "em equipa que ganha não se mexe"

O líder nacional do PSD, Rui Rio, destacou durante o seu discurso na festa do partido no Chão da Lagoa, a obra feita por Alberto João Jardim e a “difícil tarefa” de Miguel Albuquerque em substitui-lo, apelando ao voto no PSD nas eleições regionais...

Rui Rio diz que "em equipa que ganha não se mexe"
O líder nacional do PSD, Rui Rio, destacou durante o seu discurso na festa do partido no Chão da Lagoa, a obra feita por Alberto João Jardim e a “difícil tarefa” de Miguel Albuquerque em substitui-lo, apelando ao voto no PSD nas eleições regionais pois "em equipa que ganha não se mexe". Começou por mandar um grande abraço do PSD nacional do PSD da Madeira, voltando a mencionar que esta é “a maior festa que o PSD faz a nível nacional”. “É para mim sempre um gosto vir à Madeira”, disse, afirmando mesmo que a Madeira “é um dos sítios mais bonitos de Portugal”. Entre cantorias, Rui Rio prosseguiu dizendo que “a Madeira é bonita hoje, era bonita antes da autonomia e ate já era bonita há 600 anos”. “Mas a Madeira não é só bonita, ser bonita é obra da natureza, mas há coisas na Madeira que são obra do homem pelo seu desenvolvimento”, acrescenta, realçando o trabalho feito pelo Governo Regional nas últimas décadas e mencionando o tempo que demoraria atualmente percorrer a Madeira de uma ponta a outra, se não fosse a construção das estradas, túneis e outras ligações. Trabalho do Homem, que “melhorou a vida de todos os madeirenses”. “Todos os madeirenses, sejam do PSD ou de outro partido qualquer, estão de parabéns”, acrescenta. Considera, porém, que “toda a grande obra tem de ter líder, e por isso não podemos esquecer as referências principais do desenvolvimento da Madeira”, disse, reconhecendo primeiramente o trabalho de Alberto João Jardim, que “durante tantos anos esteve aqui em cima como figura principal de todos nós e hoje está aqui à frente no meio do povo, o povo para quem trabalhou durante tantos anos aqui na Madeira”. Rio reconhece ainda Miguel Albuquerque, que teve a “difícil” tarefa de substituir Alberto João Jardim, mas que tem conseguido “com êxito” levar em frente a Madeira e o PSD na Região. “Em equipa que se ganha não se mexe”, disse ainda, apelando ao voto no PSD a 22 de setembro, questionando se os madeirenses ganharão algo em trocar o PSD por um PS, que surge acompanhado pelo PCP e pelo BE. “Um PS que não entende os principais problemas da Madeira”, acusa, lembrando as lutas da Região com Lisboa e evocando os juros da dívida e a construção do novo hospital, bem como o elevado custo do transporte aéreo. Apela a voltar a mostrar "quem é capaz de governar e levar a Madeira em frente", com o voto a 22 de setembro, e pede igualmente o voto no PSD para as legislativas. Deixou ainda críticas severas ao Governo da República, devido a quem “tudo piorou”, nomeadamente com a subida de impostos, acusando mesmo a esquerda de não cumprir a constituição.