Sara Madruga da Costa: "Vai ou não o Governo conceder o aval como é devido e justo à Madeira?"

No debate do Estado da Nação, Sara Madruga da Costa, deputada do PSD, questionou o Primeiro-Ministro sobre a moratória do Estado à região autónoma da Madeira. "Vai ou não o Governo conceder o aval como é devido e justo à Madeira?", interrogou. A deputada do PSD eleita pela Madeira lamenta os "muitos e sucessivos incumprimentos, por recorrentes adiamentos e incessantes inverdades no discurso político do Governo da República relativamente à Madeira". A deputada defende a suspensão do pagamento da próxima tranche da Madeira de 48 milhões de euros à República. "O aval não tem encargos para o Governo e permitirá uma poupança anual de cerca de cinco milhões de euros à Madeira. Note-se que o que está aqui em causa é sobretudo uma questão de solidariedade e de boa vontade política do Governo da República", referiu. Sara Madruga da Costa conclui que "é tempo de virar a página, a Madeira merece respeito, merece diálogo, merece ser incluída na estratégia para os tempos difíceis que se avizinham".  

Sara Madruga da Costa: "Vai ou não o Governo conceder o aval como é devido e justo à Madeira?"
No debate do Estado da Nação, Sara Madruga da Costa, deputada do PSD, questionou o Primeiro-Ministro sobre a moratória do Estado à região autónoma da Madeira. "Vai ou não o Governo conceder o aval como é devido e justo à Madeira?", interrogou. A deputada do PSD eleita pela Madeira lamenta os "muitos e sucessivos incumprimentos, por recorrentes adiamentos e incessantes inverdades no discurso político do Governo da República relativamente à Madeira". A deputada defende a suspensão do pagamento da próxima tranche da Madeira de 48 milhões de euros à República. "O aval não tem encargos para o Governo e permitirá uma poupança anual de cerca de cinco milhões de euros à Madeira. Note-se que o que está aqui em causa é sobretudo uma questão de solidariedade e de boa vontade política do Governo da República", referiu. Sara Madruga da Costa conclui que "é tempo de virar a página, a Madeira merece respeito, merece diálogo, merece ser incluída na estratégia para os tempos difíceis que se avizinham".