Secretaria da Saúde apresentou Programa FOCUS

A Região Autónoma da Madeira adota abordagem inovadora para atingir objetivos da OMS 2030, na prevenção do VIH e das hepatites virais, na forma de rastreio e ligação aos cuidados de saúde em todos os serviços da Madeira. O rastreio vai ser...

Secretaria da Saúde apresentou Programa FOCUS
A Região Autónoma da Madeira adota abordagem inovadora para atingir objetivos da OMS 2030, na prevenção do VIH e das hepatites virais, na forma de rastreio e ligação aos cuidados de saúde em todos os serviços da Madeira. O rastreio vai ser realizado nos centros de saúde e nos hospitais do arquipélago, através da aplicação de inteligência artificial. O programa FOCUS é uma iniciativa internacional da Gilead Sciences, sendo a Madeira a primeira cidade portuguesa a recebê-lo, num programa de saúde pública que tem sido desenvolvido nos Estados Unidos desde 2010, através do qual mais de nove milhões de exames de sangue já foram realizados para o VIH, hepatite B e hepatite C. NA RAM, a sua implementação foi possível graças ao acordo de colaboração entre a Secretaria Regional de Saúde e Proteção civil e a Gilead Sciences, promotora da iniciativa nos EUA e que financia o projeto em Portugal. Na ocasião, Pedro Ramos registou que na Região “estamos focados no rastreio do vírus da imunodeficiência humana [HIV] e das hepatites virais e hoje é um dia muito especial para o Governo Regional, através da Secretaria Regional da Saúde e na percussão das suas medidas de promoção da Saúde e de prevenção da Doença”. O secretário regional da Saúde relevou que “esta é uma estratégia onde o Governo Regional aposta convictamente e constitui aposta prioritária numero 1 na área da Saúde”. Refira-se que este programa é uma resposta às recomendações da Organização Mundial de Saúde sobre o aumento do rastreio e da UNAIDS que publicou os objetivos 90-90-90 (90% das pessoas com VIH diagnosticadas; destas, 90% em tratamento; e 90% com carga viral indetetável). À plateia, composta por parceiros essenciais desta iniciativa, das mais diversas instituições regionais, Pedro Ramos acentuou que “todos, direta ou indiretamente, vão contribuir para este sucesso que se espera seja atingido, provavelmente pela RAM de uma forma antecipada, em relação ao todo nacional, devido à nossa dimensão e também devido às nossas caraterísticas de laboratório, onde facilmente todas estas estratégias mais facilmente são implementadas, acompanhadas, monitorizadas, auditadas e debatida.