Sérgio Marques reitera papel positivo nos apoios prestados pela MEDIARAM e sublinha importância de um mercado plural na Região

O Sindicato dos Jornalistas está a levar a cabo durante o dia de hoje e amanhã, uma conferência sobre o financiamento dos Media, em Lisboa. O contributo da Madeira durante o encontro foi dado por Sérgio Marques, mentor do MEDIARAM, programa...

Sérgio Marques reitera papel positivo nos apoios prestados pela MEDIARAM e sublinha importância de um mercado plural na Região
O Sindicato dos Jornalistas está a levar a cabo durante o dia de hoje e amanhã, uma conferência sobre o financiamento dos Media, em Lisboa. O contributo da Madeira durante o encontro foi dado por Sérgio Marques, mentor do MEDIARAM, programa de financiamento público dos órgãos de Comunicação Social privados da RAM, onde reiterou o papel da MEDIARAM na Madeira que assegurou através de apoios, o funcionamento do JM-Madeira e do DN-Madeira ecoando ainda a necessidade de ter um mercado plural. O deputado começou por expor a situação do Jornal da Madeira, mencionando todo um trabalho “doloroso” por detrás de todo o processo de privatização que vinha carregado de uma “duvidosa viabilidade”. “Achamos que um regime de apoios faria todo sentido para a sua não extinção. Ambos os jornais regionais, o JM-Madeira e o DN-Madeira corriam grandes probabilidades de extinção” expôs. O representante afirma que foi essencial complementar os apoios que já existiam, através de um regime regional que apoiasse as empresas de comunicação social, nomeadamente com um programa que auxiliasse na produção e em outros custos ligados ao jornal. No total o MEDIARAM definiu um plafound de 25%, estabelecendo 300 mil euros por órgão. O regime começou em 2016, apenas ao DN-madeira e em 2017, 2018 e 2019 ao JM-Madeira. “Neste momento temos os dois principais órgãos de imprensa escrita da RAM, apoiados pela MEDIARAM dentro deste regime que estabelecemos. Não fazia sentido criar um regime só para o papel, tivemos a preocupação de estabelecer critérios de acesso que automaticamente o Governo da Madeira limitava-se a despachar esse apoio. O regime está a funcionar perfeitamente bem e nunca houve qualquer ameaça aos órgãos que têm sido apoiados” afirmou durante o encontro. As rádios também não foram esquecidas, sendo que a MEDIARAM injeta cerca de 23 mil euros por ano a estes órgãos de difusão. “Quiséssemos também ter um regime de apoio às rádios locais. Hoje o balanço que podemos fazer destes regimes de apoio é um balanço bastante positivo, temos em funcionamento os dois órgãos de jornalismo impresso com resultados equilibrados, tanto o JM-Madeira como o DN-Madeira. Isto é para nós muito positivo. A MEDIARAM tem um papel fundamental para este equilíbrio”. O representante madeirense, garante ainda que é preciso garantir uma pluralidade na Comunicação Social, na Região. “Podíamos ter simplesmente fechado o JM-Madeira, mas tinha que ser feito tudo para não encerrar. Haveria que garantir um mercado plural. Não fazia sentido que o DN-madeira ficasse sozinho no mercado regional, por isso mesmo fizemos tudo para garantir a pluralidade” sublinhou. Por fim, Sérgio Marques concluiu que “podemos nos orgulhar do trabalho que fizemos. Temos hoje a funcionar dois órgãos que são património na nossa região”.