Sindicato: Reid's poderá pagar até 1,8 milhões de euros em indemnizações

O hotel Reid's poderá vir a pagar "um milhão e oitocentos mil euros" de indemnizações, entre outros pagamentos, no âmbito do processo em curso de despedimento de 63 trabalhadores. Este é o valor das contas que o Sindicato da Hotelaria e que hoje foram reveladas pelo respetivo coordenador, Adolfo Freitas, durante uma tribuna sindical realizada esta tarde à porta da Assembleia Legislativa da Madeira. O dirigente sindical disse aos jornalistas que o valor total das indemnizações poderá mesmo ser acima do cálculo realizado pela estrutura sindical. "Não se compreende, nem é aceitável, que numa unidade hoteleira como o Reid's, com mais 100 anos a servir qualidade aos turistas, que de um momento para o outro, aproveitando uma crise, sem qualquer justificação (porque a crise existe para todos) comece a despedir trabalhadores", sublinhou. A intenção de despedimento, acrescenta Adolfo Freitas, "está praticamente consumada", afetandos os trabalhadores visados e as respetivas famílias, e poderá até final do ano ser agravada com mais despedimentos. "A empresa poderia numa primeira fase fazer o que alguns hotéis também fizeram. Não é que estejamos a favor da lay off normal, mas pelo menos esta vai atenuar até pelo menos um ano a garantia do emprego. Os trabalhadores receberiam menos, mas também no desemprego receber menos. Pelo menos, tinham a possibilidade de a qualquer momento voltarem à empresa", defende. Adolfo Freitas acrescenta que o Reid's deveria "era pegar no dinheiro e dividi-lo pelos 213 trabalhadores como prémio de compensação" pela dedicação à casa centenária que é e que ao longo dos anos tem prestado um serviço de qualidade.  

Sindicato: Reid's poderá pagar até 1,8 milhões de euros em indemnizações
O hotel Reid's poderá vir a pagar "um milhão e oitocentos mil euros" de indemnizações, entre outros pagamentos, no âmbito do processo em curso de despedimento de 63 trabalhadores. Este é o valor das contas que o Sindicato da Hotelaria e que hoje foram reveladas pelo respetivo coordenador, Adolfo Freitas, durante uma tribuna sindical realizada esta tarde à porta da Assembleia Legislativa da Madeira. O dirigente sindical disse aos jornalistas que o valor total das indemnizações poderá mesmo ser acima do cálculo realizado pela estrutura sindical. "Não se compreende, nem é aceitável, que numa unidade hoteleira como o Reid's, com mais 100 anos a servir qualidade aos turistas, que de um momento para o outro, aproveitando uma crise, sem qualquer justificação (porque a crise existe para todos) comece a despedir trabalhadores", sublinhou. A intenção de despedimento, acrescenta Adolfo Freitas, "está praticamente consumada", afetandos os trabalhadores visados e as respetivas famílias, e poderá até final do ano ser agravada com mais despedimentos. "A empresa poderia numa primeira fase fazer o que alguns hotéis também fizeram. Não é que estejamos a favor da lay off normal, mas pelo menos esta vai atenuar até pelo menos um ano a garantia do emprego. Os trabalhadores receberiam menos, mas também no desemprego receber menos. Pelo menos, tinham a possibilidade de a qualquer momento voltarem à empresa", defende. Adolfo Freitas acrescenta que o Reid's deveria "era pegar no dinheiro e dividi-lo pelos 213 trabalhadores como prémio de compensação" pela dedicação à casa centenária que é e que ao longo dos anos tem prestado um serviço de qualidade.