Sínodo dos Bispos sobre a Amazónia limitará uso de plástico para dar o exemplo

 A Igreja Católica quer dar o exemplo e, no Sínodo que tratará da Amazónia e dos seus problemas, que se realiza de domingo até 27 de outubro, o uso de plástico será limitado. Numa assembleia que falará sobre o problema do desmatamento, derrube...

Sínodo dos Bispos sobre a Amazónia limitará uso de plástico para dar o exemplo
 A Igreja Católica quer dar o exemplo e, no Sínodo que tratará da Amazónia e dos seus problemas, que se realiza de domingo até 27 de outubro, o uso de plástico será limitado. Numa assembleia que falará sobre o problema do desmatamento, derrube e queima de florestas, um dos “pulmões” do planeta e suas consequências, não poderia ser feito de outra maneira, disse hoje o secretário-geral do Sínodo dos Bispos, cardeal Lorenzo Baldisseri. Lorenzo Baldisseri que afirmou que nesta assembleia, que decorre no Vaticano durante quase um mês, "o uso de plástico será limitado o máximo possível". "Greta (Thunberg) faz isso, também podemos fazer algo por nós mesmos", disse o cardeal italiano em referência à jovem ativista sueca que promove greves estudantis para proteger o meio ambiente. Neste Sínodo "livre de plástico", como já foi chamado, os copos de plástico dos participantes foram substituídos por outros feitos de material biodegradável. Além disso, o caso usualmente entregue aos participantes com o material de trabalho será "em fibra natural". Todas as comunicações estarão ‘online’ para limitar o uso de papel, acrescentou Baldisseri. O pequeno Estado do Vaticano já começou com a eliminação do uso de plástico nas suas instalações e nos seus supermercados. Além disso, também atingiu um alto nível de reciclagem: 55% dos resíduos são classificados, com o objetivo de atingir 70% a 75% em três anos. O sínodo dos bispos é uma reunião de todo o episcopado católico em torno de um tema urgente para a Igreja, e que, entre outros objetivos, visa promover o diálogo da instituição cristã com o povo do mundo inteiro, através de seus bispos. Este sínodo vai reunir representantes católicos do Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Guiana, Peru, Venezuela e Suriname.