“Só o PS pode contribuir para uma Madeira virada para o futuro”, Paulo Cafôfo

Para Paulo Cafôfo, quando os madeirenses e porto-santenseS forem confrontadoS com o voto, no próximo dia 22 de setembro, estarão entre duas decisões, uma de ‘mais do mesmo’ ou outra, com o PS, perspetivando o futuro “sem medo e sem compadrios”....

“Só o PS pode contribuir para uma Madeira virada para o futuro”, Paulo Cafôfo
Para Paulo Cafôfo, quando os madeirenses e porto-santenseS forem confrontadoS com o voto, no próximo dia 22 de setembro, estarão entre duas decisões, uma de ‘mais do mesmo’ ou outra, com o PS, perspetivando o futuro “sem medo e sem compadrios”. “Depois das férias as pessoas terão que optar e a opção será por uma continuidade, com as mesmas caras como os mesmos de sempre, com um modelo de governação já gasto, sem qualquer rasgo ou qualquer inovação, que aposta no medo, no compadrio e num Governo Regional que trabalha para um partido, que é o PSD se manter no poder”, conforme denunciou o cabeça de lista do PS, esta noite no comício realizado no Porto Santo. Cafôfo não tem dúvidas de que a alternativa aquele cenário, que traçara, é bem mais apelativa para a população. “A alternativa democrática que é a única forma de termos desenvolvimento na nossa terra, e só pode ser feita pelo PS. As pessoas querem mudar e a Madeira só irá mudar votando no PS”, realçou, referindo que só o PS poderá “fazer diferente em áreas fundamentais, como a Saúde, Educação, criação de emprego e nova habitação para os madeirenses e para os porto-santenses”. “São estas as nossas prioridades”, vincou, exaltando que com os socialistas na Quinta Vigia, haverá “uma nova Madeira, virada o futuro, numa luta pela igualdade, para que todos tenham uma oportunidade”. Para tal, Cafôfo diz que se rodeou de “uma lista bem preparada, com gente com experiência política, com capacidade técnica e muita vontade de trabalhar pela Madeira”, que, prosseguiu, “queremos que seja inovadora, positiva e isso faz-se com um projeto e com pessoas”. E, no Porto Santo ficou o desafio a madeirenses e porto-santenses: “coragem de mudar e confiança no PS”.