Susana Prada diz que Governo ficará na “história da mudança climática”

A secretária regional do Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas, Susana Prada, acredita que o Governo Regional ficará na história da mudança climática na Região. Durante o debate setorial sobre o Ambiente, Susana Prada começou...

Susana Prada diz que Governo ficará na “história da mudança climática”
A secretária regional do Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas, Susana Prada, acredita que o Governo Regional ficará na história da mudança climática na Região. Durante o debate setorial sobre o Ambiente, Susana Prada começou por dizer que a “educação e sensibilização ambiental são uma aposta firme deste governo”, e que o Programa ora em discussão tem como um dos seus desígnios “assegurar a transição para uma economia assente no conceito de circularidade, que reduz a extração de recursos, que prolonga o ciclo de vida dos materiais e que diminui a produção de resíduos”. “O atual modelo de economia linear, que extrai, utiliza e descarta, atingiu proporções incomparáveis”, mencionou. Por isso, a secretária regional considera a agenda regional para a Economia Circular é um documento estratégico, impulsionador de uma Região que conserva, regenera, repara e reutiliza”. Na sua intervenção inicial, Susana Prada prometeu continuar a apoiar o “pastoreio devidamente ordenado”, como forma de “garantir a salvaguarda da vegetação nativa, a proteção dos solos e a diminuição do risco de enxurrada”. O Governo vai também continuar a “limpeza da floresta” e “caminhar para a criação de um fundo florestal, com as receitas provenientes de atividades com impactos negativos no ambiente, revertendo estas verbas para a gestão da floresta e a conservação da natureza”. O Governo dará ainda continuidade às “intervenções estruturantes” nas redes de abastecimento, “as quais visam diminuir as insustentáveis perdas de água verificadas na Região”. “Note-se que o maior volume de perdas ocorre nos municípios não aderentes à ARM, nos quais o Governo não tem legitimidade para intervir. Uma situação a rever e a apelar ao bom senso”, destacou. Susana Prada comprometeu-se também com a implementação dos programas da orla costeira da Madeira e do Porto Santo. “O planeamento do território e a informação geográfica serão adequados aos novos patamares de exigência”, referiu, por outro lado, destacando a adaptação “do regime de cadastro simplificado ao território da Região”. Por tudo isto, Susana Prada conclui que “quando as próximas gerações estudarem a História da Mudança Climática, nós faremos parte dela”.