Suspeito de esfaquear duas pessoas em Lisboa no fim de ano fica em prisão preventiva

Um homem de 45 anos, suspeito de ter esfaqueado duas pessoas depois de uma “pequena discussão” na noite de fim de ano, na quarta-feira, em Lisboa, ficou hoje em prisão preventiva, anunciou a PSP. “O motivo deste violento episódio não foi ainda...

Suspeito de esfaquear duas pessoas em Lisboa no fim de ano fica em prisão preventiva
Um homem de 45 anos, suspeito de ter esfaqueado duas pessoas depois de uma “pequena discussão” na noite de fim de ano, na quarta-feira, em Lisboa, ficou hoje em prisão preventiva, anunciou a PSP. “O motivo deste violento episódio não foi ainda possível apurar de forma concreta, mas ao que tudo indica terá sido por motivos torpes e fúteis, originado por uma pequena discussão que despoletou o comportamento violento do suspeito”, adianta o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP (Cometlis), em comunicado. De acordo com a PSP, o homem foi detido na freguesia de Arroios, por ser suspeito da prática de dois crimes de ofensas à integridade física graves e um crime de detenção de arma proibida. Na nota, a PSP descreve que o dispositivo de vigilância e patrulha que tinha na zona foi acionado por “uma situação de desordem na Praça do Chile, envolvendo o recurso a armas”, No local foram encontradas “duas vítimas inanimadas, completamente ensanguentadas, e com marcas visíveis de agressão, com golpes profundos em várias zonas do corpo”, é referido na nota. Uma pessoa que testemunhou o que se tinha passado forneceu, então, informações sobre o suspeito, levando, depois, à sua “interceção”. “Este [o suspeito), surpreendido com a rápida intervenção da polícia, tentou ainda, sem sucesso, arremessar discretamente a arma do crime para uma zona não visível, facto que foi observado pelos polícias, vindo a apreendê-la ainda com vestígios visíveis do crime que tinha acabado de cometer”, lê-se no comunicado. As duas vítimas, de 28 e 36 anos, foram transportadas ao Hospital de São José com “graves lesões” provocadas por uma arma branca, apresentando uma delas “um corte profundo que lhe atravessava toda a face até à zona da nuca” e, a outra, “dois grandes cortes nas costas, um no braço e outro na cabeça”. O suspeito, que tem “um vasto historial negativo, nomeadamente de crimes cometidos contra a integridade física e contra a esfera patrimonial”, foi detido e, hoje, após o primeiro interrogatório judicial, foi-lhe aplicada a medida de coação de prisão preventiva, acrescenta a PSP.