Suspensas iniciativas do Dia Nacional da Juventude Trabalhadora

Por força do surto pandémico do novo Coronavírus, a USAM (União dos Sindicatos da Madeira) informou, em comunicado enviado às redações, que estão suspensas as iniciativas relacionadas com o Dia Nacional da Juventude Trabalhadora. "Porém", sublinham "a luta e a acção reivindicativa não irá cessar nestes tempos tão difíceis e exigentes que atravessamos". "Esta situação excepcional demonstra claramente, mas não só, a necessidade premente de um real investimento e valorização do SRS e dos seus profissionais, bem como por outro lado a vulnerabilidade em que os trabalhadores, nomeadamente os jovens, trabalham e vivem", começam por dizer em comunicado. Adiantando ainda que "multiplicam-se os casos de trabalhadores cujos contratos precários não foram renovados, de trabalhadores forçados a tirar férias, de trabalhadores cujos baixos salários sofreram um rude golpe e numa altura em que aumentam as incertezas sobre como irão fazer face ao pagamento das despesas mensais. A precariedade deixa-nos mais expostos e vulneráveis numa altura em que seria necessária mais estabilidade". Alertam também para "os trabalhadores do Call Centter da PT / MEO, jovens qualificados, a maioria deles Licenciados, trabalham por estes dias em condições extremamente perigosas para a sua saúde e indirectamente dos seus familiares, situação já denunciada pelo sindicato do sector – O SINTTAV". A USAM entende que "Para satisfazer as necessidades daqueles que por força da situação de Estado de Emergência permanecem em isolamento social, registou-se um aumento exponencial dos “estafetas”, maioritariamente jovens, que muitas dificuldades têm para acudir ao aumento das entregas ao domicílio, sem qualquer plano de contingência e equipamento de protecção e de segurança para a salvaguarda da sua saúde. Poderíamos elencar uma grande quantidade de outros casos, mas o tempo é de centrar esforços para combater os ataques ao direito do trabalho com direitos!".   Assim, a União diz ser "urgente" identificar e denunciar "os abusos e atropelos que os jovens trabalhadores estão a sofrer e assinalar o dia 28 de março como dia de denúncia e reivindicação".

Suspensas iniciativas do Dia Nacional da Juventude Trabalhadora
Por força do surto pandémico do novo Coronavírus, a USAM (União dos Sindicatos da Madeira) informou, em comunicado enviado às redações, que estão suspensas as iniciativas relacionadas com o Dia Nacional da Juventude Trabalhadora. "Porém", sublinham "a luta e a acção reivindicativa não irá cessar nestes tempos tão difíceis e exigentes que atravessamos". "Esta situação excepcional demonstra claramente, mas não só, a necessidade premente de um real investimento e valorização do SRS e dos seus profissionais, bem como por outro lado a vulnerabilidade em que os trabalhadores, nomeadamente os jovens, trabalham e vivem", começam por dizer em comunicado. Adiantando ainda que "multiplicam-se os casos de trabalhadores cujos contratos precários não foram renovados, de trabalhadores forçados a tirar férias, de trabalhadores cujos baixos salários sofreram um rude golpe e numa altura em que aumentam as incertezas sobre como irão fazer face ao pagamento das despesas mensais. A precariedade deixa-nos mais expostos e vulneráveis numa altura em que seria necessária mais estabilidade". Alertam também para "os trabalhadores do Call Centter da PT / MEO, jovens qualificados, a maioria deles Licenciados, trabalham por estes dias em condições extremamente perigosas para a sua saúde e indirectamente dos seus familiares, situação já denunciada pelo sindicato do sector – O SINTTAV". A USAM entende que "Para satisfazer as necessidades daqueles que por força da situação de Estado de Emergência permanecem em isolamento social, registou-se um aumento exponencial dos “estafetas”, maioritariamente jovens, que muitas dificuldades têm para acudir ao aumento das entregas ao domicílio, sem qualquer plano de contingência e equipamento de protecção e de segurança para a salvaguarda da sua saúde. Poderíamos elencar uma grande quantidade de outros casos, mas o tempo é de centrar esforços para combater os ataques ao direito do trabalho com direitos!".   Assim, a União diz ser "urgente" identificar e denunciar "os abusos e atropelos que os jovens trabalhadores estão a sofrer e assinalar o dia 28 de março como dia de denúncia e reivindicação".