Tartaruga mais velha de África morre aos 344 anos

Alagba, uma tartaruga gigante considerada a mais velha em África, morreu aos 344 anos no palácio do rei tradicional da cidade de Ogbomoso (sudoeste da Nigéria), Oba Jimoh Oyewunmi, disse hoje o secretário particular do dirigente. A tartaruga...

Tartaruga mais velha de África morre aos 344 anos
Alagba, uma tartaruga gigante considerada a mais velha em África, morreu aos 344 anos no palácio do rei tradicional da cidade de Ogbomoso (sudoeste da Nigéria), Oba Jimoh Oyewunmi, disse hoje o secretário particular do dirigente. A tartaruga do sexo masculino e cujo nome na língua iorubá significa “o mais velho” morreu na quinta-feira de doença súbita, disse Toyin Ajamu, citado pelos média locais. "Alagba viveu no palácio durante séculos. A tartaruga recebeu muitos monarcas em Ogbomoso, no passado", disse o secretário particular. O animal, cuja espécie é caracterizada por ter grande longevidade, alcançou popularidade, porque o atual rei tradicional "utilizava os seus recursos pessoais para lhe dar bem-estar". Atualmente, a tartaruga "tinha dois funcionários do palácio dedicados a ela", precisou o secretário. Esses funcionários, disse ele, "davam-lhe comida, assistência médica e tratavam de todas as questões logísticas para garantir que o animal recebesse o melhor tratamento". "Todos os dias, Alagba recebia turistas que a visitavam, de diferentes partes do mundo", disse Ajamu, que observou que o palácio e o setor de turismo "lamentam a morte” da tartaruga. A fim de manter o animal popular na memória de todos, o secretário anunciou que há planos para preservar o seu corpo para que os turistas continuem a poder desfrutar da sua presença.