Trabalhadores da General Motors em greve a partir de amanhã

O sindicato United Auto Workers (UAW), o maior do setor automóvel, marcou hoje uma greve que abrange os cerca de 48 mil trabalhadores do gigante norte-americano General Motors (GM) na primeira paralisação em 12 anos. “Não decidimos a greve...

Trabalhadores da General Motors em greve a partir de amanhã
O sindicato United Auto Workers (UAW), o maior do setor automóvel, marcou hoje uma greve que abrange os cerca de 48 mil trabalhadores do gigante norte-americano General Motors (GM) na primeira paralisação em 12 anos. “Não decidimos a greve de forma leviana (…) este é o nosso último recurso”, afirmou Terry Dittes, vice-presidente do sindicato e encarregado das negociações com a GM numa conferência de imprensa em Detroit. Dittes anunciou que a greve vai começar às 00:01 horas de segunda-feira, altura em que expira o acordo laboral alcançado há quatro anos e cuja renovação estava a ser negociada. "Os trabalhadores foram muito claros durante as negociações sobre o que aceitam e o que não aceitam”, acrescentou. Desde o início das negociações que o sindicato tem tentado evitar que a GM encerre as linhas de produção localizadas nos estados de Ohio e Michigan. A empresa argumenta que é necessário encerrar instalações para responder às mudanças no mercado automóvel e considera o sindicato demasiado exigente quando pede aumentos salariais, melhor cobertura médica e outros benefícios laborais para os cerca de 48 mil trabalhadores.