Tumultos violentos em Joanesburgo

Tumultos violentos têm sido observados desde ontem na cidade de Joanesburgo, na África do Sul, violência que se abateu para o interior da cidade afetando as áreas de Malvern, Turffontein. Tem havido apedrejamento de veículos e mais de 50 estabelecimentos...

Tumultos violentos em Joanesburgo
Tumultos violentos têm sido observados desde ontem na cidade de Joanesburgo, na África do Sul, violência que se abateu para o interior da cidade afetando as áreas de Malvern, Turffontein. Tem havido apedrejamento de veículos e mais de 50 estabelecimentos comerciais pertença de nacionais estrangeiros foram saqueados e incendiados, incluindo stands de exposição e venda de automóveis, que carregam o fardo daquilo que deixa transparecer xenofobia, como sucedeu na semana passada na capital do país, que se estende agora a outras áreas da província de Gauteng.  O JM tem informações de que focos de violência eclodiram também, esta manhã, em Silverton,Tshwane (Pretória). Quarenta e uma pessoas foram indiciadas pelo envolvimento nestas ações de violência, observando-se agora apedrejamento de automóveis na auto estrada N3, nas proximidades de Van Buuren, Bedfordview. A polícia tenta a todo o custo dispersar a multidão. Saqueadores confrontam agora a polícia, atirando pedras e pedregulhos. Nacionais estrangeiros temem pelas suas vidas e abandonam os seus negócios e casas. Em Jeppestown, Malvern, três pessoas morreram em consequência do colapso de um prédio incendiado pelos manifestantes. Na área de Turfontein, residentes tomaram as ruas exigindo insistentemente que os estrangeiros vaguem as casas, apartamentos e negócios imediatamente. Em Oakmore e Reiger Park, no bairro negro de Tembisa a leste e Joanesburgo a situação não é muito diferente, registando-se ataques nos estabelecimentos nestas áreas. A polícia abateu a tiro dois homens quando tentavam começar o saque a um estabelecimento. Neste momento, o JM tem informação de que a situação continua volátil, apesar dos esforços da polícia para neutralizar estas ações inconvenientes e ilegais. Apesar de haver comerciantes madeirenses nestas áreas não existem informações de que tenham sido molestados apesar de serem estrangeiros e isso ser do conhecimento das populações. O mote para estas ações muito se fica a dever ao facto de traficantes de droga venderem estupefacientes livre e impunemente perante a inatividade policial e a população local ser forçada a defender-se da maneira como agora se observa. Uma outra firme ação de protesto por parte de camionistas sul africanos, a nível nacional, está neste momento em progresso, com vários veículos pesados a arder, criando a ameaça de perturbações graves nas maiores rotas nacionais, uma vez que muitas estradas e artérias estão bloqueadas. Esta ação por parte de sul-africanos condutores de camiões pesados é um protesto contra a preferência de empresários locais por condutores estrangeiros, alegadamente atirando para o desemprego os sul-africanos.