“Urge acabar com o monopólio nos Portos”, afirma o JPP

O Juntos pelo Povo (JPP) esteve reunido com o Sindicato dos Estivadores e da Atividade Logística (SEAL) e aproveitou para sublinhar que é necessário acabar com o monopólio nos Portos, defendendo “a regionalização, sobretudo para manter a livre...

“Urge acabar com o monopólio nos Portos”, afirma o JPP
O Juntos pelo Povo (JPP) esteve reunido com o Sindicato dos Estivadores e da Atividade Logística (SEAL) e aproveitou para sublinhar que é necessário acabar com o monopólio nos Portos, defendendo “a regionalização, sobretudo para manter a livre concorrência e proteger a Economia da Região.” Élvio Sousa lembra que é do conhecimento público que existe um operador portuário que não paga renda há vinte e oito anos e “esta situação é insustentável para a economia da Região."  "A Economia não pode estar entregue a um operador portuário privado, sobretudo quando não existem contrapartidas para a Região e aquilo que nós defendemos, e que merece a aceitabilidade dos estivadores, é a regionalização da operação portuária, não somos a favor que as atividades estejam concentradas apenas num grupo económico, é demasiado poder e impede o normal funcionamento da concorrência", afirmou.   Esta também tem sido uma opinião pública vinculada pela ACIF e pela Autoridade da Concorrência, bem como por estudos pagos pelo próprio Governo Regional PSD. Élvio Sousa relembra que, hoje o ferry faz a sua última viagem de Portimão, ou seja, “o PSD não cumpriu o Ferry.” O cabeça de lista do JPP afirma que “foi o monopólio dos Portos que expulsou o Ferry da Madeira na operação anterior, um meio de transporte fundamental para a competitividade da Economia Regional, mas não nos moldes atualmente efetivados que não garantem a baixa do preço das mercadorias, como os bens de primeira necessidade.”