Venezuela: Assembleia Constituinte aprovou OE2020 centrado em vencer guerra económica

A Assembleia Constituinte da Venezuela, composta unicamente por simpatizantes do regime, aprovou hoje o Orçamento do Estado (OE) para 2020, que o Governo diz estar centrado em vencer a "guerra económica". O documento tem o valor de 5.439 milhões...

Venezuela: Assembleia Constituinte aprovou OE2020 centrado em vencer guerra económica
A Assembleia Constituinte da Venezuela, composta unicamente por simpatizantes do regime, aprovou hoje o Orçamento do Estado (OE) para 2020, que o Governo diz estar centrado em vencer a "guerra económica". O documento tem o valor de 5.439 milhões de dólares norte-americanos (4.760 milhões de euros), superior aos 3.857 milhões de dólares (3.432 milhões de euros) aprovados para este 2019. O OE foi aprovado por decreto da Assembleia Constituinte, pelo quarto ano consecutivo, por decisão do Supremo Tribunal de Justiça, organismo que desde 2016 acusa a Assembleia Nacional (de maioria opositora e à qual a Constituição determina deliberar sobre o OE) de desrespeitar várias sentenças. "O país não pode paralisar-se, por isso a importância de ter uma Assembleia Constituinte como a que temos. Se não houvesse a Constituinte, a Assembleia Nacional (parlamento) não aprovaria o orçamento", disse o presidente da Assembleia Constituinte, Diosdado Cabello, pouco antes de o decreto ser aprovado. A vice-Presidente da Venezuela, Delcy Rodríguez, destacou que 76% do OE para 2020 estará destinado "ao investimento social, porque o Presidente (Nicolás Maduro) pediu". "Estes recursos destinam-se à economia produtiva, saúde, habitação, à Plataforma Social Pátria. É pensar no povo, no momento de fazer um orçamento, não é pensar nas elites", frisou. Segundo Delcy Rodríguez, o OE abrange 404 projetos. Ao fazer um balanço de 2019, a vice-Presidente destacou que o Governo conseguiu conter a hiperinflação e o crescimento especulativo do dólar, e que investiu 500 milhões de euros na recuperação do sistema elétrico venezuelano e 120 milhões de euros nos CLAP (distribuição de alimentos a preços subsidiados). Delcy Rodríguez sublinhou ainda que o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, “fracassou no plano" de ajudar a oposição a chegar ao poder e de "despojar a Venezuela dos seus ativos no estrangeiro", advertindo que os opositores jamais voltarão a controlar o poder.