Venezuela: passageiro madeirense não compareceu no embarque

O primeiro voo extraordinário da companhia espanhola Plus Ultra, que deveria ter saído na terça-feira de Caracas, apenas partiu ontem à noite de Maiquetia, confirmou ao JM, o cônsul-geral de Portugal em Caracas, Licínio Amaral. O avião com destino a Madrid, partiu com um total de 374 passageiros, 18 dos quais portugueses. O cidadão madeirense que reservou e pagou, não compareceu ao embarque, aparentemente por indicação médica. A operação foi apoiada pelo exército venezuelano que colaborou na entrega das credenciais aos passageiros, nas suas residências, de modo a que pudessem circular. Recorde-se que na Venezuela está proibida a circulação de pessoas sem autorização, para além de que o abastecimento de combustível está limitado apenas a 20 litros, e em poucas bombas de gasolina. Um segundo voo está já em estudo pois, como explicou ao JM Licínio Amaral, o primeiro esgotou rapidamente e "temos vários outros portugueses em lista de espera e, se houver número de pessoas suficiente, obviamente que se irá ponderar a possibilidade de se realizar um novo voo". O voo da Plus Ultra tem como destino final Madrid e, segundo Licínio Amaral, "os portugueses irão depois para Portugal, por um transporte terrestre, através de um autocarro que os irá levar a Lisboa."

Venezuela: passageiro madeirense não compareceu no embarque
O primeiro voo extraordinário da companhia espanhola Plus Ultra, que deveria ter saído na terça-feira de Caracas, apenas partiu ontem à noite de Maiquetia, confirmou ao JM, o cônsul-geral de Portugal em Caracas, Licínio Amaral. O avião com destino a Madrid, partiu com um total de 374 passageiros, 18 dos quais portugueses. O cidadão madeirense que reservou e pagou, não compareceu ao embarque, aparentemente por indicação médica. A operação foi apoiada pelo exército venezuelano que colaborou na entrega das credenciais aos passageiros, nas suas residências, de modo a que pudessem circular. Recorde-se que na Venezuela está proibida a circulação de pessoas sem autorização, para além de que o abastecimento de combustível está limitado apenas a 20 litros, e em poucas bombas de gasolina. Um segundo voo está já em estudo pois, como explicou ao JM Licínio Amaral, o primeiro esgotou rapidamente e "temos vários outros portugueses em lista de espera e, se houver número de pessoas suficiente, obviamente que se irá ponderar a possibilidade de se realizar um novo voo". O voo da Plus Ultra tem como destino final Madrid e, segundo Licínio Amaral, "os portugueses irão depois para Portugal, por um transporte terrestre, através de um autocarro que os irá levar a Lisboa."