Vírus: Portugueses que chegaram da China aceitam isolamento e conhecem resultados de análises nas próximas horas

 A ministra da Saúde afirmou hoje que as 20 pessoas retiradas da China que chegaram a Lisboa vão ficar em isolamento e fazer análises para despistar o novo coronavírus, cujos resultados serão apresentados “nas próximas horas”. Em conferência...

Vírus: Portugueses que chegaram da China aceitam isolamento e conhecem resultados de análises nas próximas horas
 A ministra da Saúde afirmou hoje que as 20 pessoas retiradas da China que chegaram a Lisboa vão ficar em isolamento e fazer análises para despistar o novo coronavírus, cujos resultados serão apresentados “nas próximas horas”. Em conferência de imprensa no Ministério da Saúde, Marta Temido, ladeada por outros responsáveis políticos e sanitários, informou que as análises serão feitas pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge e adiantou que todos os repatriados concordaram em seguir o protocolo do “isolamento profilático”, para o qual existem 13 quartos no Hospital Pulido Valente e 10 no Parque da Saúde de Lisboa. A ministra realçou que, “à partida, essas pessoas não estão doentes” com o novo coronavírus que começou a propagar-se a partir da China, em dezembro. Durante os 14 dias que passarão em isolamento, os 20 repatriados – que incluem dois diplomatas portugueses em serviço na China e duas cidadãs brasileiras – serão visitados duas vezes por dia por uma equipa de sanidade internacional, composta por dois médicos de saúde pública. Durante o mesmo período, não poderão receber visitas, mesmo que controladas. A Direção-Geral da Saúde fará um boletim clínico diário do grupo e o Ministério da Saúde realizará uma conferência de imprensa diária para dar conta da evolução da situação. No avião de transporte C-130 da Força Aérea Portuguesa, as pessoas que decidiram sair de Wuhan, epicentro do contágio do coronavírus, foram acompanhadas por oito tripulantes e oito profissionais de saúde, incluindo uma equipa de sanidade internacional. A China elevou hoje para 304 mortos e mais de 14 mil infetados o balanço do surto de pneumonia provocado por um novo coronavírus (2019-nCoV) detetado em dezembro, em Wuhan, capital da província de Hubei (centro).