Web Summit: AICEP tem "perspetivas muito positivas" quanto a este ano

O presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) disse ter "perspetivas muito positivas" sobre a quarta edição da Web Summit, esperando eventualmente que sejam superados os 70.000 participantes. Luís Castro...

Web Summit: AICEP tem "perspetivas muito positivas" quanto a este ano
O presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) disse ter "perspetivas muito positivas" sobre a quarta edição da Web Summit, esperando eventualmente que sejam superados os 70.000 participantes. Luís Castro Henriques falava à Lusa no final de um almoço de empresários organizado pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Espanhola, que decorreu em Lisboa. Questionado sobre o que espera da quarta edição da Web Summit - que arranca na segunda-feira e termina a 7 de novembro, o presidente da AICEP disse ter "perspetivas muito positivas". "A Web Summit é sempre uma semana fantástica para nós, há muita ação, muitos clientes novos, há muitos conhecimentos novos, estamos muito entusiasmados por mais uma edição da Web Summit", afirmou Luís Castro Henriques. "Creio que desta vez se pode eventualmente superar mais de 70 mil participantes", ou seja, "mais pessoas que vêm visitar e conhecer Portugal como destino de negócios", salientou. Luís Castro Henriques apontou ainda as "vitórias" que Portugal tem tido "em termos de investimentos" nos últimos anos. "Temos uma história cada vez mais forte, hoje em dia temos desenvolvimento de 'software' das maiores empresas do setor automóvel alemão em Portugal. Todas", sublinhou. "Temos a Google, temos a Cisco, temos um conjunto muito alargado de outras empresas americanas e empresas de altíssimo valor tecnológico", exemplificou, acrescentando que há também tecnológicas inglesas a virem para Portugal e "isso gera interesse das outras geografias". "Acho que este [Web Summit] é mais um momento para tentarmos estabelecer mais contactos e, se tudo correr bem, trazer mais negócio para o País", rematou.